4.1.16

Se tivesse de resumir dois mil e quinze...  numa palavra seria mudança; num lugar seria a minha nova casa; num cheiro seria o do teu perfume; numa música seria a lay me down; num filme seria the imitation game; num livro seria o tanto que eu não te disse, da marta gautier (que reli este ano e no qual me perdi e reencontrei de novo.
Dois mil e quinze foi, sem dúvida, o ano que mais passou a voar. Foi um ano de estreias, de novidades e de descoberta. Foi o ano de perceber a praxe, de trajar pela primeira vez, de sentir o que é realmente união e partilha que só se consegue construir com um convívio diário. Foi o ano de "sair de casa", de criar os meus hábitos, de ter o meu espaço, pelo qual sou totalmente responsável e no qual posso ser tudo aquilo que me apetecer. Foi o ano das mudanças silenciosas e das mudanças mais visíveis, planeadas ou inesperadas, mas que tinham de acontecer. Foi o ano de receber os meus amigos na minha casa, de cozinhar para eles; foi o ano de jogar às cartas e tomar cafés que duraram pela noite dentro. Foi, sem dúvida, o ano em que mais vezes fui ao cinema. Foi o ano em que mais vezes abracei e fui abraçada, o ano em que mais beijei e que senti que o amor pode, de facto, fazer a diferença entre um problema e uma tragédia. Foi o ano em que me dediquei a um novo grupo de amigos, em que construí uma relação forte com as minhas amigas universitárias. Foi o ano em que mais vezes dormi fora assim como foi o ano em que mais vezes tive pessoas a dormir comigo. Foi o ano em que decidi fazer uma pausa do trabalho e aproveitar a vida. O dia em que os sábados à noite eram sinónimo de cafés em grupo e os domingos à tarde eram sinónimo de futebol e lanches cheios de conversa.
Foi, sem dúvida, dos anos em que mais cresci.
Para dois mil e dezasseis o que eu espero é estabilidade, harmonia e equilíbrio. Sem picos de felicidade ou de dramas, apenas um ajuste entre tudo e paz de espírito.

2 comentários:

nês disse...

É um novo ano, podes fazer uma nova história ou apenas a continuação...

Renata disse...

Que o melhor de 2015 seja o pior de 2016. Bom ano :)