12.2.15

12 liberdade

Sou livre e sei-o. Uso a liberdade que tenho ao máximo, às vezes - admito - como desculpa para exagerar nas reações ou para bater a porta quando algo me aborrece. Não raras as vezes fujo, saio porta fora e não olho para trás. Mas quando me acalmo e a liberdade que tenho se transforma em solidão e retoma a forma de acalmia, é sempre para o mesmo lugar que olho, sempre o mesmo abraço que anseio, o mesmo perfume que procuro. Porque sou livre, e uso a liberdade, mas ainda assim é a ti que torno sempre.

Sem comentários: