2.1.15

entre aspas

Como eu, esperavam; não a morte, que nós, seres incautos, fechamos-lhe sempre os olhos na esperança pálida de que, se não a virmos, ela não nos verá. Esperavam.
morreste-me, josé luís peixoto

Sem comentários: