6.1.15

06 parque

Longe vão os meus tempos de pausas, tardes passadas entre séries e livros (não-técnicos, que esses só são uma realidade agora), e ao fim da tarde ia eu sozinha correr para o parque da cidade, apenas a música me acompanhava. E trocava sorrisos com os desconhecidos, conversava com as crianças que me acenavam, era feliz e nem sabia. O pôr-do-sol mais bonito foi ali durante um ano.

1 comentário:

Lúcia disse...

tudo a seu tempo, querida Mariana :)
p.s.: gosto de te ver cumprir de forma tão fiel a caixa das palavras!!