16.11.14

por muito que me peças nunca te direi qual é a minha fonte de inspiração. quão estranho seria admitir que é a ti que recorro constantemente para escrever as primeiras palavras quando elas me querem escapar?

3 comentários:

A. Margarida disse...

estranho? não.
lindo. muito, muito lindo

Raquel Pires disse...

Eu acho que estragamos sempre as fontes de inspiração quando lhes dizemos que as são. Mesmo que não exista, começo a ver nelas uma pretensão para o ser e perco-lhes o encanto. Mas não deixa de ser bonito, não deixa mesmo.

Ana Marisa disse...

Não é estranho, é natural e bonito :)