17.6.14

17 Sobrehumano

O ódio que lhe sinto não se escreve. Nem sequer o digo. Penso-o, muito. Não todos os dias porque felizmente não me lembro dele assim. É o lado bom da distância, afasta-nos do que nos faz mal. É sobrehumano o ódio que te sinto...

Sem comentários: