12.6.14

12 Normalidade

A normalidade dos dias, rotinas sem sentido, actos repetidos sem pensar. Dias secos de vida, vazios de inspiração. A normalidade é tudo o que não quero, é a morte do artista.

2 comentários:

Cláudia S. Reis disse...

Morte à normalidade!

Lúcia disse...

é mesmo «a morte do artista» :)