2.4.14

02 Amor

Se os silêncios se tornarem permanentes e o frio nos gelar os ossos quero que saibas que se um dia vi a luz foi pelas tuas mãos. Desde então tudo se tornou sombra, rotinas baças de uma vida apagada. Se um dia fui viva e louca foi pela tua companhia. Agora deixo-me seguir os rumos dos outros, tão perdida quanto eles. Culpa minha, que não quis aceitar-te enquanto era amor. Agora que o amor se foi é piedade que procuro... quem diria que esta alma um dia foi feliz.

3 comentários:

Cláudia S. Reis disse...

Todas as almas são, mais tarde ou mais cedo, felizes. Que texto lindo :)

disse...

escrever ao desamor com a mesma entrega com que se escreve ao amor. <3

disse...

O amor tem sempre as duas faces da vida, a boa, quando levitamos com alguém pelas nuvens, a má, quando nos perdem os pés ao chão e se esquecem de nos ensinar a caminhar. Adoro sempre o que escreves pequenina