15.4.14

15 Acto

No fim do primeiro acto pedi-te para pararmos um pouco, para fazermos uma pausa. Na verdade só deixou de ser um acto único porque eu assim o quis. Fui tomar banho, comi qualquer coisa e voltei para perto de ti. Os lençóis ainda estavam quentes e tu permanecias em silêncio, a olhar para mim como se o meu corpo quase despido à tua frente fosse algo novo, um milagre atrasado mas o mais esperado por ti. Enternecida afoguei-me em ti e, em silêncio, passamos ao segundo acto.

4 comentários:

s. disse...

que coisa bonita.

disse...

dos meus favoritos destas tuas cartas ao amor.

Lúcia disse...

eu espero que sim :)
e já sabes...adoro adoro adoro !

Jessica disse...

Maravilhoso, ler estes teus textos é receber amor aos bocadinhos :)