22.1.14

Já não escrevo em papel. Ainda não deslizei a caneta pela folha desde que o ano começou. Por isso não vais receber esta carta pelo correio. Talvez já tenhas alguma saudade da minha letra, sei que te tenho falado e não te vou dizer que tenho saudades da tua. Tenho e não tenho, porque tenho relido tudo o que me escreveste. As saudades são fortes, sabias que está a fazer um ano que te vi? Estou agora a ler o livro que te levei, tão doce mas ao mesmo tempo tão pesado... Não sei se estou melhor agora ou naqueles tempos, Mariana. Não sei e acho que nunca vou saber. Não sei se a minha vida está a melhorar ou a piorar, mas ao mesmo tempo não quero saber. Tenho algum medo do futuro. Acho que ainda não o tinha dito, assim, a alguém. Não sei o que me reserva e não sei se serei louca o suficiente para levar os meus projectos até ao fim. Achas que consigo, Mariana? Diz-me que sim. Diz-me que haverão sempre braços para me amparar e acolher. Espero-te cá, em breve.
P.S.: Sabias que o meu marcador de livros é de metal e chegou num envelope?
 Com saudade,
Mariana

2 comentários:

Cláudia S. Reis disse...

Não sou a Mariana mas digo-te que consegues :) Com a tua força conseguirás tudo.

Lúcia disse...

e sabias que é tão bom ler-te, Mariana?