3.9.13

Se me perguntarem o que gostei mais do dia dos meus anos eu digo que foi das lições que aprendi. Aprendi que não devemos viver sufocados em planos e expectativas, as coisas do momento são melhores e mais intensas. E aprendi também que as coisas que fazemos por impulso e seguindo as nossas próprias regras são as melhores: nem que seja fazer praia às onze da noite, olhar o mar deitada na areia e ter o luar como fonte de luz, sentar no lugar errado no cinema propositadamente e até mesmo fazer anos e não querer prendas. As maiores prendas foram as surpresas que tive, as chamadas inesperadas, a normalidade com que me trataram quando disse estar cansada de homenagens. Fiz anos e a rotina regressa, mas não para mim.

9 comentários:

mariana disse...

És linda e maravilhosa Mariana :)

Lúcia disse...

ainda bem que gostaste do teu dia de anos, e sem dúvida que as coisas inesperadas são as melhores :)
o que se passa é que ontem encontrei alguém que preferia não ter encontrado, muito sinceramente :/

Relojoeiro disse...

Boa aprendizagem de vida, identifiquei-me completamente. De certa forma quando crescemos a maioria de nós perde essa mentalidade inocente de esperar pelos contos de fadas e vai à luta em busca da sua felicidade. ;)

Pensando com Arte disse...

comecei a seguir-te, espero que me sigas *
Fico a espera da tua opinião,
pensando com arte.

Lídia disse...

Apesar de todo o "circo" que muitos montam o nosso aniversário é o nosso dia. E muita gente se esquece disso. Felizmente ainda existem pessoas, como tu, que dão valor aos pequenos pormenores. Quem o faz é, sem dúvida, muito mais feliz.

Ordem do Saber disse...

Interessante maneira de ver as coisas.
Realmente o momento vale mais do que o que se espera.
Porque o que se espera às vezes pode ser tão vazio...

Um bom domingo.

Ana Silva disse...

Gostei do teu blog!
http://annluckindarkdays.blogspot.pt/
Participa para ganhares um colar e um anel grátis:
http://annluckindarkdays.blogspot.pt/2013/09/giveaway-x-la-cerise.html

Starlight disse...

R: Nunca pensei nessas hipóteses, de facto.

Audrey Deal disse...

Eu por mais que bata com a cabeça nas paredes vivo sempre em expectativas, eu sou assim :(