1.9.13

Dos meus 17 anos

De repente passou mais um ano. Amanhã, dia 2, faço os meus 18 anos. O ano da mudança. Este ano foi aquele em que passei pelos momentos mais felizes e pelas mágoas mais agressivas. Com 17 anos tirei o primeiro 20 na pauta e andei de carro com o André. Andei de avião pela primeira vez e passei o Natal e a passagem de ano sem os meus pais mas com os meus primos, na terra da neve. E a neve fez greve por lá estarmos. Voltei a andar de muletas durante mais de uma semana, e depois das muletas vieram as complicações cirúrgicas. Fiz praia em Abril, fui para a praia várias noites. Li bons livros, escrevi em vários blocos e vi muitas séries. Vi filmes que mudaram a minha forma de ver a minha própria vida. Foram muitas as noites que passei em claro enquanto pensava no futuro e nos meus problemas. Nos meus 17 anos peguei num carro e tentei conduzir e senti a meu lado a força do amor e da confiança. Beijei muito, sorri muito. Fui operada e passei dois meses fechada em casa. Passei um verão inteiro sem praia e sem piscina, chorei e sofri em silêncio. Passei dias em casa, sozinha. Senti o desespero de quem não sabe porque sofre e de quem sabe que a causa é a própria mente. Nos meus 17 conheci uma irmã, vi-a e abracei-a, e ri muito em cinco minutos com ela. Conheci pessoas que me marcaram para a vida na turma nova, aprendi muito com eles. Aprendi a ser mais tolerante e a não julgar os livros pela capa, aprendi a voltar a abrir-me com desconhecidos. Talvez os meus 17 anos sejam o ano da mudança, pelo menos da mudança interior. Conheci várias pessoas "virtuais", todas elas muito diferentes mas muito especiais e eu vou guardar com carinho a conversa colectiva que mantemos. Nos meus 17 anos passei a ser mais descontraída, menos dramática. Custou mas aos poucos fui-me desprendendo de pessoas que eram âncoras na minha vida. Tive momentos em que tudo o que queria era alguém que me dissesse "eu estou aqui" enquanto me mimava para as dores passarem. Foi com 17 anos que me apaixonei pelo chá, e descobri todo um mundo deles. Com 17 anos li alguns clássicos e li muitas palavras escritas nos blogs de todos vocês. Reli-me muito, para tentar encontrar quem era. Perdi-me em palavras e nelas deixei um pouco de quem sou. Escrevi cartas, enviei postais. Participei em manifestações, organizei protestos, reivindiquei muito. Andei perdida entre diferentes rumos que podia tomar mas acabei por ver alargado o prazo para a decisão. Com 17 anos ofereci várias prendas que fizeram as pessoas felizes, e dei-lhes acima de tudo aquilo que de melhor tenho: as palavras. Fui conforto e fui rude, chamaram-me de pão de manteiga com sementes e de duche mental. Com 17 anos disse coisas que nunca pensei dizer e quase tomei decisões que seriam um choque para todos. Aprendi que nada na vida é irreversível, mas que nada é eterno também. Joguei em raspadinhas, criei twitter e pinterest. Acima de tudo recriei-me, participei em projectos diferentes e outros criei-os eu. Independentemente do que digam eu tenho orgulho de quem sou, da pessoa em que me tornei. Tenho orgulho nestes 17 anos. Os meus. E embora o dia de amanhã não seja minimamente feliz nem parecido com o que eu imaginei, espero daqui a uns tempo estar feliz a festejar os meus 18. Nem que seja daqui a meio ano.

9 comentários:

Raquel Neves disse...

Gostei muito de ler isto, és uma miúda forte e mereces tudo de bom. Eu adorei os meus 18, espero que adores os teus!

Lúcia disse...

arrepiei-me, Mariana. é bom que tenhas orgulho nos teus 17 anos, e espero que venhas a ter ainda mais orgulho nos teus 18 anos :)

disse...

não há nada melhor que olhar para trás e sentir orgulho na vida que se levou até ali. vais fazer 18 amanha e eu vou fazer 17 quarta feira, e espero daqui a um ano poder orgulhar-me tanto como tu te orgulhas agora de ti. um beijinho

mariana disse...

és a melhor mariana que conheço. Obrigada <3

Joo disse...

Quando fores para os 20 vais ver o que é mudança querida!

Carina Filipa Peixoto disse...

Á que ter orgulho de ti princesa!

disse...

:) que bonitos dezassete ! um beijinho cheio de amor para os dezoito.

Joo disse...

Porque dizes isso?

Maria Inês. disse...

Parabéns atrasados, Mariana! :)
E que os 18 te façam ser ainda melhor pessoa do que já és, aproveita-os. És fantástica! Beijinho grande*