27.8.13


Por vezes penso em como seria mais fácil ser directa, ir directa ao assunto e fazer-te sofrer como eu sofro. No fundo sabes que sou incapaz de te fazer sofrer propositadamente e que normalmente aguento até ao máximo. Talvez não chegue ao meu limite tão tarde como de costume, talvez nem chegue ao limite. Pego nas minhas malas e ponho-as perto da porta. Já não me olhas, já não me procuras por entre a multidão de seres que és mas tentas unir num só. Talvez um dia saia de vez e nem te avise, talvez fique para te ver procurar-me. Por entre as coisas que não fazes há um mundo.

5 comentários:

mariana disse...

perfeito

shinyatsuki disse...

espero que sim, doce, que me faça sair da minha carapaça.

Joo disse...

O amor é fodido.

Emilie Lorena disse...

Sinto-me assim. Não num amor, mas numa amizade. No meu caso as malas, e eu, já estamos fora de casa!

r: Vamos então tirar as dúvidas, se bem que eu acho que realmente já te cruzaste comigo :p O nome do blogue é igual ao nome de uma outra rede social minha e o meu nome de perfil é o de uma das musas do meu poeta favorito ;)

sophia disse...

Já tinha saudades de passar por aqui, sempre belo. E sê forte.