21.8.13

Carta a ti, que és quem eu quero ser

É com indefinição que te escrevo. Não sei qual dos caminhos seguiste: a vida simples e acolhedora, ou a responsabilidade dos grandes cargos públicos. Vejo-te feliz, o nevoeiro da distância não me deixa descobrir-te o motivo mas sei que ele existe. Espero que continues a pensar pela tua própria cabeça e que o mar de dúvidas que eu hoje atravesso encharcada tenham resultado na acalmia para ti. Sei que ainda amas muito, de peito cheio. Tudo é vago mas espero que não seja oco. Espero que tenhas a paz que sempre procurei. E um dia, quando olhares para mim, lembra-te que fui eu quem passou noites em branco para seres quem és. 

6 comentários:

Renata disse...

Está muito lindo!

patrice disse...

que lindo!! adorei a tua carta :')

mariana disse...

és um génio Mariana :)

disse...

"tudo é vago mas espero que não seja oco" lindo, lindo!

Lúcia Pereira disse...

mas eu não destruí nada :o

Lídia disse...

Brilhante. Simplesmente brilhante.