11.7.13


Por vezes fazemos das coisas nossas semelhantes. Noutras vezes moldamo-nos à imagem e semelhança das coisas. A verdade é que não devemos forçar nada, as coincidências surgem conforme cedemos à insaciável vontade de sermos convergentes.