10.6.13

Convivo bem com a minha frontalidade. Não tenho filtros e por isso digo o que tenho a dizer quando acho que o devo dizer. Nem sempre fui assim, mas agora que me sinto a amadurecer acho que não me devo magoar para poupar os outros quando o inverso não acontece. Então tornei-me ainda mais destemida na tarefa de dizer o que penso e sinto, sem medos. Tudo tem consequências e eu estou disposta a colher todas as que decorrem dos meus actos. Apenas não vou ficar calada quando devo falar.

1 comentário:

Inês disse...

devemos dizer aquilo que pensamos e ser, então, pessoas livres.