19.1.13

Maturidade Emocional, vista por mim

Aos poucos fui deixando de procurar, de pressionar, de exigir demais quer de mim quer dos outros. Aos poucos comecei a dar-me espaço para crescer e aos outros para voar. Eu cresci, eles voaram. Eu não mudei e alguns não voltaram. O que é certo é que o distanciamento por vezes também é necessário. Para ver, ver como corre. Nunca gostei de me sentir asfixiada e por isso nunca me deixei sentir obcecada por ninguém. Para mim isso é Maturidade Emocional. É amar alguém mas não exigirmos a sua atenção vinte e quatro horas por dia. É amar alguém e perceber quando estar connosco não é o que o faria mais feliz naquele momento. E isso não é vergonha, não é o não querermos toda a atenção e vida direccionada para nós que transforma um Amor num não-Amor. 

3 comentários:

Cláudia Ribeiro. disse...

adorei (:

inês silva disse...

Tudo são fases, tudo vai e algumas vêm.

mary disse...

só saudades do blue.
adorei o que escreveste