20.10.12


E aos poucos eu percebi que a vida se encarrega de nos ensinar a gostar de chá. E o chá passa a ser a bebida que acompanha as conversas com a mãe ao domingo, passa a ser o pretexto para o silêncio surgir quando a conversa se torna pesada. Quando temos um dia mau deitámo-nos na banheira com água quente até ao pescoço e ficamos  a ouvir o coração a bater... e para nos sentirmos mais reconfortados vamos tomar um chá quentinho. Quando estamos felizes  deixamos o chá esfriar porque há tantas coisas boas para fazer. O chá é melhor que leite com chocolate porque não tem açúcar a mais. Está na medida certa. Nem muito doce, nem muito azedo. Nem muito quente, nem muito frio. O chá tem a capacidade de se adaptar a todas as pessoas e a todos os momentos das suas vidas. Coisa que quem nos rodeia não consegue fazer. E misturado com o chá bebo as minhas próprias lágrimas quando penso que o mundo vai acabar. Choro-as e bebo-as logo de seguida, e é por isso que elas nunca acabam. É um ciclo vicioso e não sabemos como o quebrar... Que venha o chá de frutos vermelhos, de ananás e coco ou de caramelo e baunilha. Que nunca acabe o chá para nos acompanhar nas alegrias e nas tristezas, nas conversas e no silêncio

8 comentários:

mary disse...

o chá para mim é essencial :) adoro mesmo!

Maria Inês. disse...

Também sou uma amante de chá, principalmente quando tenho companhia para conversa. :)

Ana disse...

Magnífico!

emma disse...

medicina :)

Ana disse...

Ainda bem que achas isso :)

emma disse...

awwwn, que linda <3
vou repetir os exames do secundário (:

sophia disse...

tão bonito :) e oh, eu só me limitei a dizer a verdade doce

CEP disse...

Não sou adepto de chá, mas gostei da suavidade do texto :)
Quase que me incitas a beber chá :)


R: Concordo, mais escalões = mais equidade fiscal *