7.9.12

o meu próprio livro


És como o meu livro favorito. Aquele que eu já li e reli, e sou capaz de ler de novo a qualquer momento. Aquele que me acompanha para qualquer lado. Se não estiver comigo fisicamente, está na minha mente e no meu coração, com todas as lições que me deu e com as palavras que, em conjunto ou separadas, me marcaram. Tu, como o livro, que me acompanhas enquanto o sono  não chega, e porque tal como ele és o 
último ponto em que me foco antes de adormecer. Aquele livro que folheio quando o silêncio assim o pede, ou no qual me refugio e busco conselhos quando a dor me condiciona o discernimento. Tu, tal como o livro, és a minha fonte de palavras. Duras, quando necessária. Hesitantes, quando assim o exijo. Doces, quase sempre. Tu, tal como o livro, a minha fonte de amor.  

4 comentários:

cláudiagomes. disse...

um dia, ainda hei-de ler esse livro

Nina disse...

Acho muito válido comparar o amor que sentimos ao livro. Até porque, ambos são frutos (e fontes) de constante aprendizagem.
Abraços.

Ana Margarida disse...

Lindo, lindo.

Patrícia disse...

está lindo :)