28.9.12


Amo-te. Amo-te por hoje, que vivemos para matar as saudades e mostrar que somos a força maior; por ontem em que tivemos de aguentar as saudades, a ausência e a pressão que quase nos leva a desistir; e em todos os amanhãs em que a presença e os nossos encontros serão permanentes. Somos eternos. E infinitos. E isso constrói-se a cada dia.

3 comentários:

inês silva disse...

completamente lindas as palavras, e vocês :)

nicolemorais disse...

Que lindoos:)

Ana. disse...

felicidades :D