17.8.12

o caminho faz-se caminhando


Solo firme. É assim que eu te sinto. Não me escapas, dás-me a base para me sentir confiante em tudo o que faço... e mesmo quando não faço o mais correcto não me deixas só. No meio da instabilidade, tu és a constante. E agora que também tu estás a pisar as areias movediças, turbulências da vida que não podemos evitar, quero retribuir a estabilidade que em mim és. Quero que me deixes manter a teu lado e a lutar a teu lado na frente da batalha. E se me tirarem o chão? E se te tirarem de mim? Vou ao teu encontro para mais uma vez voarmos rumo ao improvável que nós vamos tornando rotina.