28.8.12

da descoberta


Nada supera o carinho. A cumplicidade que está presente em todo o lado de forma oculta e se deixa mostrar por um sorriso tímido e uma troca de olhares rápida mas intensa. A primeira vez que eu estive no teu mundo, e a vez em que descobriste o meu espaço. A  conversa de ocasião, simples, só para entreter, quando o que mais nervosos nos deixa é aquilo por que sempre esperamos. O momento em que estaríamos a sós num espaço só nosso. Apenas nós e a ansiedade típica que antecede a descoberta. Olhos nos olhos as coisas vão acontecendo, tudo flui com a naturalidade que sempre nos caracterizou. Sem palavras, apenas olhares falantes que as substituem tão melhor... O toque suave da ponta dos dedos que andam a apalpar o terreno até então desconhecido. O respeito que é mantido com o olhar que pede consentimento. Sem pressas de avançar, um passo de cada vez para que cada etapa seja vivida calmamente  E a partir deste dia, a partir daquele segundo nunca mais teus dedos esquecerão a suavidade da minha pele, que procurarão a cada dia da minha ausência. A sensação que fica na pele e deixa a mente a imaginar o tanto que ainda há para descobrir e cada pequeno momento que ainda temos para viver. E nunca nenhum abraço será igual ao nosso, no momento em que nenhuma preocupação nos afecta, em que apenas nos intriga como é possível um amor ser tão forte e intenso. Mas é o nosso, e isso explica tudo. E aqui te espero, no mesmo sítio de sempre. Ainda há tanto para descobrir, e tanto tempo para o fazer...

4 comentários:

letters to you disse...

... tanto de nós para dar

Maria Inês. disse...

é mesmo..
e tal tu, neste teu texto, também acho que ficou muita coisa por descobrir e infelizmente ou felizmente, o meu coração ainda espera por ele.

nicolemorais disse...

Oh, agradeço-te imenso, mesmo!
Está maravilhoso, completamente maravilhoso!

Mariana F. disse...

que haja sempre mais para descobrir! (: