19.8.12

Cont(r)a Corrente # 2

Vá, aproveita que estás sozinho e tira um tempo só para ti. Apenas em tua companhia inicia uma viagem... ao interior de ti mesmo. Não, não vais ignorar o apelo mais uma vez. Hoje tens tempo -e se não tiveres, arranja- e hoje é o dia. Ainda te conheces? Chegas a reconhecer-te, pelo menos? O tempo tem passado tão rápido e tantos acontecimentos variados têm-te feito mudar, que a questão mantém-se. Ainda te reconheces? Lembraste de quem eras há um ano atrás? Há um mês atrás? Há um dia atrás? Há um segundo atrás? Lembraste? E ainda és a mesma pessoa? 
Não deixes que as dúvidas te deixem desistir, afinal de contas a viagem ainda está a começar. Os projectos mudam a cada nova dúvida. Já não há certezas nesta vida. Pelo menos já não há certezas a durar mais do que o tempo suficiente para acordar da ilusão. Quanto tempo demora até uma crença passar a certeza? E quanto tempo demora até um pensamento repetido antes de dormir se tornar um delírio letárgico? Quanto tempo demora até um amor se tornar eterno? E quanto tempo demora o eterno a tornar-se passado? O passado será mesmo um espaço de tempo encerrado por detrás do portal dos erros? Talvez quando menos esperares esse portal se abra e o passado invada o teu presente. Talvez te baralhe, talvez te cegue totalmente. O passado torna-se presente, e o futuro nada mais é que um presente envenenado.
Faltam 30 minutos para este dia acabar, e no final desse tempo deixo-te acabares a viagem. O que é que pode fazer este dia valer a pena? E o que é que o pode destruir? A mesma pessoa e dois efeitos opostos. Irónico, não é? Dás a todos o poder de mudar a tua vida, quando na verdade devias mantê-lo bem nas tuas mãos.

3 comentários:

claudias; disse...

sonhos são sonhos e não passam disso mesmo: sonhos.

Patrícia disse...

gostei muito*

Raquel Neves disse...

Sim, basicamente depende de nós.