1.5.12

dos contrastes

Amamo-nos de uma forma diferente da do comum. Sem me chamares amor a torto e a direito. Sem mensagens enormes e lamechas todos os dias. Mesmo sem estarmos juntos todas as semanas, muito menos todos os dias. Sem beijos e abraços a toda a hora: poucos beijos e abraços certeiros. Sem mãos dadas o tempo todo, mas com os beijos no pescoço que fazem rir. Contigo sempre a levar umas pancadas nas costas, umas palmadas no braço ou um estalo ou outro. Com as borboletas no estômago a cada reencontro. E com a mesma timidez antes dos primeiros sorrisos. Mas também com a felicidade do primeiro dia, o mesmo amor e a mesma força. Porque cada gosto muito de ti sussurrado ao ouvido antes das partidas vale por tudo. Tal como tu.

11 comentários:

nês disse...

Depende se as memórias são boas ou não, comigo é assim :) Mas isso também depende das pessoas...

Ana Margarida disse...

Oh que doce. Obrigada, meu amor, mesmo.

caroline pipi disse...

perfeito! assim espero que seja *

inêssilva* disse...

o primeiro dia nunca se esquece, e os primeiros passos podemos voltá-los a repetir, ao lado de quem amámos :)<3

nês disse...

A sério? :)

nês disse...

Oh obrigada minha linda <3

caroline pipi disse...

será!

claire disse...

é tão bom.apesar do meu amor ser um pouco assim também,tal como escreves

caroline pipi disse...

parece que a palavra está prestes a explodir

claire disse...

é tal e qual mariana,também o acho:))

Ana Margarida disse...

Irei faze-lo, anjinho.