3.3.12

Quando não tenho nada a temer, faço-me de frágil para receber o mimo de quem me rodeia. Mas nos momentos em que preciso de apoio e de força por motivos aterradores, faço-me de forte para não preocupar ninguém.
É, a culpa é desta mania de me preocupar com todos e não querer que se preocupem comigo. Sou boa a ajudar os outros a lidar com os seus problemas, mas por vezes não sei lidar com os meus, nem quero que os outros cuidem do que só a mim me compete resolver.
Só que as pessoas nem sempre mostram revelar que me conhecem, não percebendo que quando digo não querer, é porque preciso tanto que nem sei como agir.

5 comentários:

cláudiagomes. disse...

és como eu em certos aspectos.

cláudiagomes. disse...

é verdade, minha mariana!

cláudiagomes. disse...

Mantemo-nos firmes!

cláudiagomes. disse...

segura-mo-nos uma á outra, ok?

ParadoxoSD disse...

sou exatamente assim... ;/