30.3.12

O ideal de vida contemplativo nunca foi para mim. Sempre fui dada a agir (por impulso, na maioria das vezes) e a lutar pelo que quero, em vez de ficar a pensar, a sonhar, a deprimir ou simplesmente imaginar o que quero e o que não quero. Não gosto de pessoas que constantemente se queixam da vida, desempenhando na perfeição um papel de vítimas da sociedade, e não dão o peito para as balas na luta pelo que lhes faz bem. É, é mais uma das coisas que eu não compreendo.

13 comentários:

joana. disse...

oh, eu espero que sim :')

joana. disse...

sim, eu aprendi isso com o tempo :')

Ana disse...

acredita...
adorei o texto! identifico-me profundamente

rita sousa. disse...

muitas das vezes as pessoas queixam-se da vida porque infelizmente não são suficientemente fortes para lutar contra esta. mas cada um é como é. :)

anaf. * disse...

concordo contigo *-*

Sílviafreitas. disse...

eu sorrio sempre :) e obrigada pelo apoio *

márcia morello disse...

oh, muito obrigada. eu também já tinha saudades. de todas! e do meu blogue. por isso é que voltei, e espero não ir mais! :)

joana disse...

mas é bom ou mau?

joana disse...

nunca se deve desistir de nada, sem pelo menos tentar, sem saber no que isso vai dar

ana minhalma disse...

há tanto tempo que não vinha cá, continuas a escrever lindamente :)

Sílviafreitas. disse...

Resolvemos acabar, e ver o que vai dar. Naquela situação não dava mais. Ele vai ter exame e diz que precisa de se concentrar e que mais erros e problemas só vão prejudicar. Por um lado compreendo, por outro não :x
As saudades são imensas :$

ana minhalma disse...

de nada minha linda :)

mariana disse...

vi-me completamente neste texto! ou
é do nome ou não sei ahaha
não entendo nem tenho paciência para ficar a chorar sobre leite derramado. para quê? o caminho é sempre em frente, o que nos magoa torna-nos mais fortes