11.3.12


Nunca precisei de mudar quem sou para me sentir integrada ou para ter amigos. Talvez por isso valorizo tanto quem conseguiu atravessar o fosso que há entre o meu verdadeiro eu, e o eu que os outros identificam em mim. Mas isso só me quer dizer uma coisa: se não mudei para conquistar, não mudarei para reconquistar, não mudarei por nada nem por ninguém.
Dou o peito para as balas no lugar de qualquer um dos meus, porque os meus são um valor supremo. Mas os meus também não abusam de mim: é assim que as coisas funcionam na minha terra.

3 comentários:

m. disse...

e é assim que deveria ser sempre. gostarem de nós pelo que somos, aceitando-nos sem nunca quererem que mudemos.

cláudiagomes. disse...

é a verdade.

ana minhalma disse...

é assim que devia funcionar com todas as pessoas mas infelizmente a maior parte da sociedade não aje assim