13.1.12


Volta para cá, vem para debaixo da minha asa de novo. Vem, tu, que nunca saíste nem sairás de dentro de mim!

3 comentários:

MARIANNE disse...

espero que ela volte e que não se vá embora.

Lia disse...

o problema está na linha ténue que separa recordar de tentar reviver, e que é tão fácil de se passar de um lado para o outro sem sequer darmos por isso. tenho medo, muito medo disso.

patrícia disse...

não sei porque não conseguias :o