12.11.10

LOVE is real

 Palavras, palavras, palavras, palavras, palavras.

Dizer "eu amo-te" já está na moda, já é vulgar.
Amámos os pais, os irmãos, os primos, o namorado, os amigos, os colegas, os amigos dos amigos, os conhecidos e agora também os desconhecidos.
Amámos tanta gente, que nem conseguimos peceber quem realmente amámos, porque são tantos sentimentos diferentes, que não sabemos distinguir o verdadeiro.
Eu cá acho e defendo que a VULGARIZAÇÃO é OPCIONAL.
Não vale a pena, mas é que não vale mesmo estarmos a dizer o mesmo a toda a gente, se cada um é como cada qual, se ninguém ocupa o mesmo lugar, se ninguém é fotocópia de ninguém, para quê fazer de conta que todos significam o mesmo?
Gostámos de muita gente, mas quem amámos é diferente. E quem amámos mesmo, não precisa de ouvir sempre as mesmas palavras. Não precisa de ouvir sempre um "amo-te" de manhã, "amo-te" durante o almoço, um "amo-te" durante a aula de Geografia, um "amo-te" no intervalo de 20 min., um "amo-te" durante o jantar como se durante os outros minutos não as amássemos , como se elas se fossem esquecer ou como se o disco que estão a ouvir estivesse riscado.
Mais que dizer, é realmente mostrar. Como ? Com gestos, que ajudam muito e significam mais do que as palavras.
Mais do que palavras, é o que devemos fazer para tornar tudo real.
Não vulgarizar, porque por vezes, criamos algo novo apenas por dizermos "EU AMO-TE".

Sem comentários: